sábado

Estranhezas



                                       Olhe bem! Nem tudo é como vê ...

O dia será de nebulosidade, assim disse a previsão do tempo.
Previ antes tantas vezes e isso serviu apenas para intensificar ansiedade e criar monstros de sombras.Optei por não prever e atualmente tenho optado por não sentir. Deixo passar como água de cachoeira, deixo passar a sensação de incômodo por qualquer coisa.
Não sei se é inércia ou comodismo...
Talvez seja só o aprendizado de que o tempo não serve apenas para esmagar os momentos de um dia em 60 minutos.
O tempo abranda tudo e todos,hora ou outra.
Tudo que sentimos, as previsões, o gosto e não gosto, são bolsas pesadas demais para carregar de uma única vez, sem a devida divisão .
O desequilíbrio pode gerar o sei lá de despropósito ou  o não sei de muita dúvida. 
Ambos mostram que coisas fogem das palmas das mãos como a poeira que voa no vento.
O que nos resta? tempo, muito tempo.
Tempo de pensar e tempo de criar, tempo que nos faz temer a ausência do plano que sempre esteve esticado na mesa como um mapa .Tempo que nos dá a sensação de vazio e estranheza .
Estranheza sim, porque tudo fica meio contorcido e incomum.
Você olha e vê o que sempre viu, mas não sabe se o que tinha visto era de fato tudo aquilo que aparentava.Perde a importância ou ganha importância.
Estranheza é argila, massa de modelar, coça na pele, tira o sono ou faz adormecer pesadamente...
Estranheza é cegueira diante de tantos detalhes e também é lupa na mesma proporção.
Estranheza é célula nascendo e célula morrendo, é o fio de cabelo que quebra e aquele que desponta as pontas porque cresce, é a mudança de todos os dias e acontece em todos os seres e dentro de todos os seres, inevitavelmente!
A sensação de estranheza é ruim porque aperta e na mesma intensidade liberta para novas atitudes diante de tudo e todos.
Pode passar rápido ou durar meses ....
É como pegar aquele pedaço de madeira e lixar, lixar, lixar e sempre achar a ponta que precisa ser retirada.
O brilho demora a ser dado porque vem pelo verniz e este quando é passado, apesar de dar um ar de novo, esconde a aspereza, o defeito. O brilho que vende e encanta os olhos vem do mesmo elemento que aprisiona, porque reveste algo naquela forma única e plasmada, adormecida na prateleira de mais um dia de vida.
Estranheza é maluquice e é também a perfeita sanidade .
Você só se encontra pela estranheza e só assim tudo deixa de ser tão estranho...
Irônico isso!

5 comentários:

  1. O seu blog continua muito bom.

    Parabéns pelo conteúdo!

    Arthur.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Arthur ! Como vc tá? Beijãooo

    ResponderExcluir
  3. Estou bem. O cansaço anda me acompanhando um pouco, mas nada que atrapalhe de fato.

    e você, como vai?

    Muita luz!

    ResponderExcluir
  4. Salam, Valéria! Às vezes é tão bom ser "estranha", rsrsr e sorrir das próprias estranhezas.
    Seu Blog está lindo.
    Bjs
    (Visite o meu qualquer dias desses para ver a moda masculina tb)

    ResponderExcluir
  5. Sim Denise! Eu sou totalmente estranha e adoro isso rsrs.
    Sempre acompanho de perto seu blog ! Beijos e luz :)

    ResponderExcluir

Expus meu devaneio , exponha o que achou ? Um beijo na alma *